sexta-feira, 19 de março de 2010

Star Gate Linha do Tempo

Stargate: Linha do Tempo (Stargate: Continuum)
Direção: Martin Wood
Roteiro: Brad Wright
Elenco: Ben Browder, Amanda Tapping, Christopher Judge, Michael Shanks, Beau Bridges, Claudia Black, Richard Dean Anderson, Cliff Simon, William Devane, Don S. Davis
Duração: 97 minutos
Ano de Lançamento: 2008

Sinopse: Ao participar de um cerimônia de extração do último dos Goa'uld, espécie de alienígena parasita, de seu hospedeiro, Ba'al, uma equipe militar de elite (SG-1) é surpreendida por uma alteração repentina no continuum espaço-tempo e dois de seus membros desaparecem. Os três sobreviventes correm para o portal Stargate, enquanto o fenômeno vai destruindo a paisagem em volta.

Devido às alterações no tempo, em vez de voltarem para a Terra que conhecem, voltam para uma linha de tempo alternativa onde o Stargate nunca foi descoberto. Neste mundo um dos personagens jamais existiu e os outros têm histórias de vida diversas: um está oficialmente morto, e outro é um escritor, autor de livros de ciência alternativa sobre alienígenas do passado.

Dentro dessa realidade, os personagens tentam convencer o governo a permitir que voltem e alterem a linha do tempo. Inicialmente enfrentam a incredibilidade aparente do governo e depois da relutância em permitir que eles alterem a linha do tempo, uma vez que sua atitude irá mudar a aquela linha de realidade (o que faz uma linha de tempo ser melhor que outra?), mesmo ante a argumentação de que há um inimigo alienígena poderoso, que alterou alinha do tempo e deseja conquistar a Terra. E... está na iminência de invadi-la!

Stargate: Linha do Tempo (Stargate: Continuum) situa-se cronologicamente entre Star Gate SG-1 e Stargate Atlantis e é uma obra feita diretamente para DVD.

Uma coisa que deve ter passado pela cabeça dos fãs das séries Star Gate é que, apesar da clara influência do seriado O Túnel do Tempo, raramente a possibilidade da viagem no tempo foi mencionada, quanto mais produzido um episódio voltado para isto. Todas as vezes que há alguma menção a civilizações do passado é em um planeta em outra galáxia que ainda está em um estágio evolutivo comparável a algum período da história terrestre.

De uma forma geral, viagens no tempo são fascinantes e tem aparecido com frequência no universo da ficção científica, porém devido aos constantes apelos a este tipo de história, fica difícil fazer alguma coisa criativa, sem cair no lugar comum de outras histórias similares. Histórias de viagem no tempo quase sempre caem em cima dos paradoxos do tempo (e Star Gate: Linha do tempo não é exceção), como o paradoxo do avô (o que aconteceria seu viajasse pelo tempo e matasse meu avô?), ou o encontro consigo mesmo em épocas ou realidades diferentes, levados às últimas consequências na excelente série De volta para o futuro.

Isso demonstra a dificuldade de produzir material novo, o que fez os produtores de Star Gate evitarem o assunto nas séries tradicionais.

Neste longa, o resultado é apenas razoável, com uma dose de aventura, algumas ousadias de roteiro (que levou os produtores a construir em estúdio um navio dos anos 30 e fazer tomadas no ártico) e uma leve menção ao paradoxos clássico na viagem no tempo.

Ainda que haja ganchos que permitam a continuação, creio que dificilmente alguém pensará em transformar Star Gate: Continuum em seriado.

2 comentários:

  1. Muito interessante, obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Álvaro. Sou escritor e gostaria de entrar em contato com você, por favor.

    ResponderExcluir